Fontes

A maioria das informações vêem com a devida validação abaixo da publicação. Algumas não foram possíveis de indicar a fonte, mas demos à informação o valor e a importância que mereceu e esperamos poder validá-la com posteriores pesquisas.

10/07/2015

Penedo de Cima ou das Chagas, Nossa Senhora das Chagas/Várzea do Capibaribe-Camaragibe


Engenho fundado pelo cristão novo e mercador Simão Vaz, antes de 1593, situado na margem direita do Rio Capibaribe, acima do eng. Camaragibe, próximo a São Lourenço da Mata. Sua moenda era movida a bois, sem igreja, freguesia da Várzea, sob a jurisdição de Olinda, Capitania de Pernambuco, pagando 02% de pensão sob todo o açúcar fabricado.
                Em 1623 o engenho era de propriedade de Diogo da Costa Maciel, que permaneceu sob o domínio holandês e administrando suas terras. Nesse dito ano o engenho moeu 3.370 arrobas de açúcar.
Segundo Pereira da Costa o desbravamento das terras de São Lourenço da Mata, com a exploração do pau-brasil, abriu campos à cultura da cana de açúcar, e daí a construção dos seus primeiros engenhos, de sorte que, em 1630, se viam já sete fábricas de açúcar no termo da sua paróquia, aonde era fabricado o melhor açúcar da Província.
Entre os engenhos coloniais do município de Camaragibe podemos citar o Timbi como maior produtor de cana de açúcar da região, abrangendo uma área de 970 hectares, o Tabatinga, Cangaçá, Penedo, Mamucaia e o Camaragibe como mais antigo da região e que deu nome ao município.
Como a povoação já era de certa importância, naquela época, o General Matias de Albuquerque, mandou, em 1633, o Capitão Luiz Barbalho Bezerra guarnecer com o terço do seu comando a dita povoação, mas logo depois o Capitão teve que se retirar por urgência do serviço da campanha, e assim desguarnecida, é atacada por uma forte coluna holandesa, entregue a pilhagem, e bem assim os aldeamentos circunvizinhos. Dos seus engenhos de então temos uma circunstanciada noticia em um documento holandês de 1637, que assim os enumera: São Bento, pertencente a Francisco Nunes Barbosa; Moribara, sob a invocação de N. S. das Dores,  de Gabriel de Pina, que, ausentando-se com a invasão holandesa, foi a propriedade confiscada e vendida a André Soares; Nossa Senhora de Monteserrate, pertencente a Antônio Rodrigues Moreno; São João, pertencente a Arnau de Holanda, que tinha levando a fábrica a pouco tempo; Mussurepe, do Mosteiro de S. Bento de Olinda; Nossa Senhora das Chagas, pertencente a Diogo da Costa Maciel; Massiape, sob a invocação das Chagas de Cristo, do capitão Francisco do Rego Barros, que o levantou e depois o abandonou.
No documento holandês "Breve Discurso" situa o engenho em São Lourenço e o relatório de Van der Dussen refere-se que o engenho de Diogo da Costa Maciel ficava na Várzea e outro em São Lourenço, mas se deve tratar de dupla contagem. Ainda no dito relatório diz que em 1637, o engenho se encontrava "muito arruinado, há anos que não mói". Em 1638, continuava a monte e "dificilmente poderá ser reconstruído porque o seu dono é pobre". Em 1645, Diogo da Costa aderiu à insurreição luso-brasileira. Ainda a monte em 1655.
Mulher não identificada -
Engenho  Penedo de Cima
Na relação dos engenhos de 1655 (pág. 237) diz que o engenho ainda pertencia a Diogo da Costa, que se encontrava arruinado e pagava ainda 02% de pensão, sobre o açúcar produzido antes de ser dizimado.
O engenho Nossa Sra. das Chagas foi citado nos seguintes mapas coloniais: PRÆFECTURÆ PARANAMBUCÆ PARS BOREALIS, una cum PRÆFECTURA de ITÂMARACÂ; PE-C (IAHGP-Vingboons, 1640) #40 CAPITANIA DE PHARNAMBOCQVE, plotado como engenho, 'Ԑ: os Chagas', na margem direita do 'Rº. Capauiriuÿ' (Rio Capibaribe); IT (IAHGP-Vingboons, 1640) #43 CAPITANIA DE I. TAMARICA, plotado com o símbolo de engenho, 'Ԑ. os Chagas.', na margem direita do 'Rº. Capauiriuÿ'; PE (Orazi, 1698) PROVINCIA DI PERNAMBVCO, plotado, 'd Cliugas', na margem direita do rio 'Capiibari'. NOTAS: O mapa de Marcgrave (BQPPB) mapeou o 'đ. chagas' com o símbolo de engenho de bois sem igreja na margem direita do 'Capĩibarĩ' (Rio Capibaribe) e os mapas Vingboons, cuja autoria é atribuída a Golijath ou a Marcgrave, dependendo do historiador consultado, plotam esse engenho também margem direita do Rio Capibaribe.
O último proprietário encontrado foi o Dr. Francisco Gomes de Araújo Sobrinho, Prefeito de São Lourenço da Mata no começo do século XX.


Francisco Gomes de Araújo Sobrinho

Fontes:
http://slm.pe.gov.br/a-prefeitura/
http://blogdomagnodantas.blogspot.com.br/2014/05/a-historia-de-camaragibe-e-de.html
PEREIRA DA COSTA, F. A. Anais Pernambucanos. 1795-1817. 2ª Edição. FUNDARPE. Gov. de Pernambuco. Recife, 1983. Vol. 2:400.
MELLO, Evaldo Cabral de. O Bagaço de Cana. Edt. Penguin & Companhia das Letras.  1ª edição. São Paulo, 2012. Pág. 72
PEREIRA, Levy. "Đ. Chagas". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em: http://lhs.unb.br/atlas/%C4%90._Chagas. Data de acesso: 6 de julho de 2016.


Proprietários Encontrados:


Simão Vaz – Cristão novo. Filho de Miguel Dias e Brites Vaz. Irmão de Miguel Dias, Manuel Dias Henriques e João Mendes Henriques, Florença Dias, Brites Vaz, Isabel Nunes, Grácia Vaz e Milícia Nunes. Costumava frequentar com seus parentes a esnoga do engenho Camaragibe/Camaragibe, aonde trabalhava como Feitor. Morou em Olinda entre 1597 e 1602, aonde era mercador e depois carregador de açúcar para navios que se destinavam ao exterior.
NOTA: Borges da Fonseca (Anais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro – Anais 1939 Vol 61 [1], pág 96): Capitão de Carta de Sua Majestade de 29 de agosto de 1618 sobre a licença que pede o Capitão Simão Vaz de Olinda, par mandar a Pernambuco o flamengo Paulo Libres a cobrar a fazenda e dinheiro que ali tem.
Senhor do engenho: Penedo de Cima (Penedo das Chagas ou Nossa Senhora das Chagas/Várzea do Capibaribe-Camaragibe, em 1593
Fontes:
http://www.arquivojudaicope.org.br/2012/pt/compilacoes/primeira.html
MELLO, Evaldo Cabral de. O Bagaço de Cana. Edt. Penguin & Companhia das Letras.  1ª edição. São Paulo, 2012. Pág. 72
PEREIRA, Levy. "Đ. Chagas". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em:http://lhs.unb.br/biblioatlas/%C4%90._Chagas. Data de acesso: 10 de julho de 2015.
Primeira Visitação do Santo Ofício às partes do Brasil; Denunciações e Confissões de Pernambuco 1593-1595. Prefácio de José Antônio Gonsalves de Mello. Recife, FUNDARPE. Diretoria de Assuntos Culturais 1984. 509+158 p. Il (Coleção pernambucana – 2ª fases. 14
RIBEMBOIM, José Alexandre. Senhores de Engenhos Judeus em Pernambuco Colonial 1542-1654. Edt. 20-20. Recife, 1995. Pág. 126.

      
Diogo da Costa Maciel –  De acordo com o “Breve Discurso, Diogo da Costa Maciel permaneceu em seu engenho durante a ocupação holandesa. Em 1645, Diogo da Costa aderiu à insurreição luso-brasileira.
Senhor do engenho: (?)/ Várzea do Capibaribe; Penedo de Cima (Penedo das Chagas ou Nossa Senhora das Chagas/Várzea do Capibaribe-Camaragibe, em 1623.
Casamento 01: Maria Cabral Bacellar.
Filhos: 01- Bento Cabral Bacellar – Falecido em 1679, de acordo com o inventário feito após seu falecimento. C.c. Magdalena Pessoa, (c.g.).
Fontes:
BORGES DA FONSECA, Antônio José Victoriano. Nobiliarquia Pernambucana. Biblioteca Nacional do Rio de janeiro. Anais 1925 Vol 47 (3). Pág. 153, 410, 482.
PEREIRA, Levy. "Đ. Chagas". In: BiblioAtlas - Biblioteca de Referências do Atlas Digital da América Lusa. Disponível em:http://lhs.unb.br/biblioatlas/%C4%90._Chagas. Data de acesso: 10 de julho de 2015.
PEREIRA DA COSTA, F. A. Anais Pernambucanos. 1795-1817. 2ª Edição. FUNDARPE. Gov. de Pernambuco. Recife, 1983. Vol. 2:400
http://www.liber.ufpe.br/visaoholandesa/Previous.vh?query=diversidade&page.id=1947
MELLO, Evaldo Cabral de. O Bagaço de Cana. Edt. Penguin & Companhia das Letras.  1ª edição. São Paulo, 2012. Pág. 72

Francisco Gomes de Araújo Sobrinho, Dr. – Prefeito de São Lourenço da Mata em: 15/11/1895 a 15/11/1898, 15/11/1901 a 15/11/1904 e em 29/09/1907 a 15/11/1907. Com fotografias na Coleção Francisco Rodrigues: FR-3519, 3512 e 3514.
Senhor dos engenhos:  Capibambe/São Lourenço da Mata (1924|), Conselheiro/São Lourenço da Mata (1924|),, Penedo de Cima/São Lourenço da Mata (1924|), São José/São Lourenço da Mata (1924|),  Santa Rosada/São Lourenço da Mata (1924|),. Proprietário da Usina Capibaribe/São Lourenço da Mata
Fontes:
313394 - Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial do Rio de Janeiro - 1891 a 1940 - PR_SOR_00165_313394
http://memoria.bn.br/DocReader/Hotpage/HotpageBN.aspx?bib=313394&pagfis=78393&pesq=&url=http://memoria.bn.br/docreader#
http://slm.pe.gov.br/a-prefeitura/
www.dominiopublico.gov.br/pesquisa

Prefeitura de São Lourenço da Mata - Pernambuco

Nenhum comentário: